1ª FÁBRICA DE CÉLULAS FOTOVOLTAICAS DO BRASIL: de São Paulo para Luziânia-Goiás

Foto Fernando-Luziânia

CÂMARA DE COMÉRCIO BRASIL-PORTUGAL CENTRO OESTE

A Câmara de Comércio Brasil-Portugal Centro Oeste, da qual, a ECO-INOV Tecnologia Sustentável é membro, se orgulha de ter indicado o Município de Luziânia para receber a nova indústria da SOLIKER, especializada em Células Fotovoltaicas.

Está de parabéns o povo de Luziânia, o dinâmico Prefeito Cristovão Tormim e o Secretário de Desenvolvimento Econômico Marcos Melo, que de forma exemplar, demonstraram à SOLIKER as extraordinárias vantagens que Luziânia oferece para hospedar empresas de alta tecnologia.

Parabenizamos em especial, a Dra. Gabriela Corte Batista, que escolheu Luziânia para instalar a SOLIKER.

Luziânia está no Centro Oeste brasileiro, estrategicamente localizada nas proximidades de Brasília e oferece, excelente ambiente para hospedar esta magnífica Empresa, nesta região que se destaca pelos mais altos índices de crescimento econômico do Brasil.

DE SÃO PAULO PARA LUZIÂNIA-GOIÁS

O governo de Goiás assinou com a empresa Soliker Brasil Indústria e Comércio de Módulos Fotovoltáicos Ltda. um protocolo de intenções pelo qual Goiás abrigará a primeira empresa do País a produzir células fotovoltaicas, dispositivos tecnológicos de energia limpa que convertem energia solar em elétrica.

A matriz brasileira da empresa, que também funciona na Espanha, e é especializada na fabricação de módulos para geração de energia limpa, já se mudou de São Paulo para Luziânia, no Entorno do Distrito Federal.

DA PARCERIA AO PROJETO

A parceria foi oficializada nesta quarta-feira (17/12), com a assinatura do protocolo de intenções, envolvendo também a Prefeitura de Luziânia. O vice-governador José Eliton representou o governador Marconi Perillo e deu as boas vindas à presidente da empresa, Gabriela Franciscato Corte Batista. Assinaram o protocolo também o secretário de Indústria e Comércio (SIC), William O’Dwyer, e o prefeito de Luziânia, Cristóvão Tormin. Secretários de várias áreas prestigiaram a assinatura.

O protocolo envolve a implantação de uma unidade industrial para fabricação e comercialização de módulos fotovoltaicos, assim como soluções em eficiência energética, serviços de engenharia básica, implantação, instalação, coordenação e assistência técnica no município de Luziânia.

A parceria prevê R$ 200 milhões de investimentos com a construção da unidade industrial em Luziânia, gerando de 98 empregos diretos e 3 mil indiretos na fase de operação. O governo do Estado, entre outros incentivos, fará o financiamento de 73% da parcela incentivada e contratada junto à Agência de Fomento, agente financeiro do programa Produzir.

Já a prefeitura de Luziânia cedeu uma área de 250 mil metros quadrados para implementação do empreendimento, dos quais 30 mil metros quadrados para a fábrica, 30 mil metros quadrados para a expansão da mesma, e 190 mil metros quadrados para a implantação de uma usina de cerca de 8,5 Mwatt pico, para abastecimento próprio e da região industrial vizinha.

O vice-governador, que assumirá em janeiro a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico, Agricultura, Pecuária e Irrigação, destacou que a assinatura do acordo “faz Goiás fechar 2014 traduzindo o espírito do momento, com a vinda de várias empresas, o que fez Goiás crescer acima da média dos demais estados brasileiros”.

Já William O’Dwyer enfatizou o privilégio de Goiás ter sido o escolhido entre quatro estados para abrigar a indústria. Um fator decisivo na escolha foi a elevada incidência de sol no território goiano. Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Santa Catarina também estavam na disputa, e Goiás foi o que se mostrou mais competitivo.

O apoio e a articulação dos agentes públicos de Goiás, como na SIC e Secretaria de Ciência e Tecnologia (Sectec), além dos incentivos governamentais concedidos pelo governador Marconi Perillo, também tiveram grande peso na vinda da empresa. Foi o que destacou a presidente da Soliker.

Gabriela presenteou José Eliton e Cristóvão Tormin com exemplares em modelo reduzido da célula fotovoltaica que será produzida, aptos à produção de energia. Ela, que produzia na fábrica da Espanha, se disse muito feliz por conseguir montar uma fábrica de matriz energética limpa no Brasil, lembrando que outros países já estão neste caminho há três décadas. Segundo a empresária, a unidade de Luziânia já iniciará com uma linha de produção do chamado filme fino, usado para integração arquitetônica e uma linha cristalino, voltado a usinas de energia. Gabriela ainda defendeu a preparação de mão de obra brasileira para o setor.

De sua parte, o prefeito de Luziânia comemorou o impulso na geração de empregos na região, aliado ao desejo de uma fábrica voltada para a energia limpa. Ele cumprimentou o vice-governador pelo desafio da nova secretaria. “Competência técnica e política o credenciaram”, afirmou.

A empresa vai gerar 98 empregos diretos e 3 mil indiretos. O vice-governador José Eliton destacou que o desenvolvimento de novos parques tecnológicos como este, que garantem maior competitividade e agregação de valor à produção goiana, são desafios que o Estado tem pela frente para continuar crescendo economicamente. “O sucesso desta empresa será o sucesso da economia goiana”, ressaltou.

Esta é a segunda empresa especializada na fabricação de painéis fotovoltaicos a assinar um protocolo de intenções com o Estado apenas no segundo semestre deste ano. Em agosto, a indústria S4 Solar anunciou o investimento de R$ 30 milhões na construção de uma fábrica em Anápolis.

Fonte: A REDAÇÃO

Uma Resposta para “1ª FÁBRICA DE CÉLULAS FOTOVOLTAICAS DO BRASIL: de São Paulo para Luziânia-Goiás”

  1. informative post

    I really like the formatting of your post. The headers and bold text ensure it is an easy read.

    Responder

Deixe seu comentário